HORÁRIO DE ATENDIMENTO:
SEG À SEX DAS 8:30H ÀS 11:30H E DAS 13:00 ÀS 18:00
Sindicato dos Bancários de Ponta Grossa e Região

Reestruturação do Banco do Brasil

Em meio a pandemia, Banco do Brasil assombra funcionários com reestruturação e registra intenção de proceder a 5 mil dispensas.

Na manhã desta segunda-feira (11), a direção do banco apresentou Plano de Reestruturação com fechamento de unidades, e extinção da Gratificação de Caixa. Informou que em 30 dias irá “desgratificar” todos os funcionários que se encontrem efetivados na função de Caixa Executivo. Alterar a gratificação do caixa executivo para gratificação diária a ser paga pelos dias de efetivo exercício, com visível prejuízo aos funcionários exercentes de tal função, além de redução do papel social do banco.

O Banco também anuncia o fechamento de dependências e extinção de diversos cargos. Tudo isso, no intuito de forçar os funcionários a aderirem aos Planos de Demissão que foram anunciados em conjunto com as medidas de redução de cargos e comissões.

Além do Plano de reestruturação acima citado, a direção do banco apresentou duas modalidades de Plano de Demissões Voluntárias (PDV), em que busca desligar 5 mil funcionários, o que implicará na piora de atendimento do público, consistindo num Programa de Adequação de Quadros (PAQ), em que a empresa considera excessos de pessoal nas unidades e o Programa de Desligamento Extraordinário (PDE), para os demais funcionários do BB que atenderem aos pré-requisitos estabelecidos pela empresa.

As pretensões da direção do banco é de promover mudanças em 870 pontos de atendimento, com o encerramento de 361 unidades de negócios, transformação de 243 agências em postos de atendimento, transformação de 145 unidades em lojas BB sem serviços de caixas, relocalização de 85 unidades de negócios e criação de 15 escritórios digitais.

Durante reunião realizada na tarde desta segunda-feira (11), a CONTEC registrou sua decepção, registrando que o plano da empresa revela o objetivo de redução de custos a qualquer custo e destacou que a conduta com os caixas executivos é contraditória e desvaloriza os relevantes serviços presenciais prestados por esses profissionais durante a pandemia.

A CONTEC também enfatizou a impertinência das medidas em plena pandemia.
A CONTEC recomenda que as Federações e Sindicatos debatam a questão nesta terça-feira (12), em busca de alternativas, para orientação aos funcionários do BB.

A implementação de uma reestruturação em plena pandemia é um desrespeito aos funcionários e às entidades sindicais.

A CONTEC pediu a realização de reunião com o banco para a próxima quarta-feira, pela manhã, para discutir alternativas de soluções negociadas. Aguardamos a manifestação do BB.

Comissão Executiva Bancária Nacional de Negociação – CEBNN/CONTEC

COMPARTILHE

NOTÍCIAS RELACIONADAS