HORÁRIO DE ATENDIMENTO:
SEG À SEX DAS 8:30H ÀS 11:30H E DAS 13:00 ÀS 18:00
Sindicato dos Bancários de Ponta Grossa e Região

Nubank tem lucro de US$ 1 bilhão em 2023 e se aproxima de meta de 100 milhões de clientes

23/02/2024
/
402 Visualizações

Lucro no quarto trimestre do ano passado foi de US$ 395,8 milhões, salto de 248% em 12 meses; fintech fechou dezembro com 93,9 milhões de clientes, ante 54 milhões um ano antes (Por Altamiro Silva Junior e Matheus Piovesana)

O banco digital Nubank, que quer ultrapassar 100 milhões de clientes em 2024, anunciou lucro líquido ajustado de US$ 395,8 milhões no quarto trimestre de 2023, um salto de 248% em 12 meses, considerando os resultados da holding, dona das operações no Brasil, México e Colômbia.

Considerando todo o ano passado, o ganho ajustado acumulado foi de US$ 1,2 bilhão, ante US$ 204 milhões em 2022. Sem ajustes, o lucro líquido foi de US$ 360,9 milhões no quarto trimestre e de US$ 1 bilhão em 2023.

O retorno sobre o patrimônio (ROE, na sigla em inglês), um dos indicadores mais monitorados nos bancos, ficou em 26% no quarto trimestre, considerando o resultado ajustado, um dos mais altos entre bancos brasileiros. Mesmo sem os ajustes, o ROE ainda foi alto, em 23%.

“O ano de 2023 foi realmente uma transição muito importante para o banco em rentabilidade”, afirmou ao Estadão/Broadcast o diretor financeiro do Nubank, Guilherme Lago. “Se olharmos só as operações no Brasil, o nosso retorno segue crescendo em patamares superiores a 40%.”

Com os indicadores de 2023, Lago diz que o Nubank é um dos únicos bancos digitais globais capazes de equilibrar três atributos: alto crescimento com rentabilidade e qualidade do crédito.

As receitas do Nubank somaram US$ 2,4 bilhões no quarto trimestre de 2023, um novo recorde, o que representa um aumento de 57%, descontando efeitos cambiais, em 12 meses.

“À medida que trabalhamos para ultrapassar a marca de 100 milhões de clientes em 2024, estamos investindo pesado em diversificar caminhos de crescimento para continuar a transformar potencial em lucro”, afirma no balanço o CEO e fundador do Nubank, David Vélez.

A fintech fechou dezembro com 93,9 milhões de clientes, em comparação com 54 milhões há um ano. Apesar de ter chegado a quase 53% da população brasileira, Lago conta que o Nubank vem conquistando de 1,3 milhão a 1,5 milhão clientes por mês no Brasil. “Em 2023, ganhamos mais clientes no Brasil que os cinco maiores bancos juntos”, disse ao Estadão/Broadcast.

Ou seja, só no ritmo atual de crescimento, o Brasil conseguiria fazer o banco digital operar os 100 milhões que Vélez comenta. O diretor de Relações com Investidores, Jorg Friedemann, disse que, em janeiro, o Brasil cresceu de novo em mais de 1 milhão de clientes. Mas tem ainda as operações no México e Colômbia.

Para 2024, uma das metas do Nubank é “ganhar o jogo” no mercado mexicano. O banco já conta com mais 6 milhões de clientes no México e 600 mil na Colômbia — e ainda tem 400 mil na fila para ter uma conta corrente, que ainda nem foi lançada.

Inadimplência e crédito
No Brasil, o índice de inadimplência do Nubank, considerando atrasos de 15 a 90 dias, terminou dezembro em 4,1%, em ligeira queda. Já para um prazo maior, acima de 90 dias, ficou estável em 6,1%.

Lago ressaltou que o banco não conta com a melhora do ciclo do crédito no Brasil, mas com a capacidade de aumentar o acesso ao crédito para um número maior de clientes, o que pode levar a inadimplência a subir.

No crédito, a carteira que rende juros cresceu 91% em um ano, chegando a US$ 8,2 bilhões em dezembro. (Fonte: Estadão)

Notícias FEEB PR

COMPARTILHE

NOTÍCIAS RELACIONADAS